Neuropolítica nas eleições de 2018: O PSL e o voto afetivo

Leonardo Reisman

Resumo


A  reconfiguração  da  política  brasileira  sacramentada  pelas  eleições  de  2018 representa um vastíssimo campo de análise para a Ciência Política contemporânea. Ruiu o  tradicional  eixo  político-partidário  nacional,  vetor  de  organização  dos  últimos  seis embates eleitorais nacionais (1994, 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014), polarizados entre o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). A nova  arquitetura  partidária  possui  o  PSL  (Partido  Social  Liberal)  como  protagonista. Além do presidente da República, o partido elegeu 52 deputados federais, 4 senadores, 3 governadores e 76 deputados estaduais/distritais.


Texto completo:

PDF
Associada e indexada à