ESTADO NEOLIBERAL E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL: TRANSFORMAÇÕES DE PARADIGMAS EM NOSSO CIRCUITO HISTÓRICO

Shilton Roque dos Santos, Yossonale Viana Alves, Márcio Adriano de Azevedo

Resumo


O presente artigo se propõe a analisar a tendência de massificação da Educação Profissional, a partir de cursos de curta duração, cuja oferta vem sendo inserida na dinâmica do mercado, transformando a educação em um produto vendável. Estuda-se o fenômeno da massificação desses cursos, no Brasil, com base nas transformações do Estado neoliberal, considerando a essencialidade destas novas conformações: sociais (em especial, no trabalho), políticas (essencialmente o Estado e suas instituições) e jurídicas. Para tanto, demarcou-se o entendimento sobre o que seria o Estado neoliberal, fundado nos estudos de Poulantzas (2000), Meszáros (2011; 2015), Mascáro (2013), relacionando-o com a leitura de educação enquanto direito, de Haddad (2004), com o propósito de identificar as transformações da Educação e da Educação Profissional sob as exigências do neoliberalismo, com assente em Freitas (2018), Santos (2019) e Santos & Azevedo (2019). Destaca-se que a análise da realidade dar-se-á a partir das lentes do materialismo-histórico-dialético, de Marx (2008), exigindo do observador retirar os objetos de estudo a partir da realidade social e analisá-los sob o ponto de vista da totalidade social. Conclui-se que a Educação Profissional deveria ser a chave para a formação e qualificação dos trabalhadores, contudo respondendo às demandas da base material da sociedade capitalista, o Estado Neoliberal, promove a precarização do trabalho e das condições de vida e o desemprego.

 


Palavras-chave


Educação; Estado Neoliberal; Educação Profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2000.

ARCARY, V. O martelo da história. São Paulo: Sundermann, 2016.

BRASIL. Diário do Congresso Nacional. Publicado em 29 de novembro de 1988. Ano XLIII – N. 116. Brasília, 1988.

______. Lei n.º 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Brasília, 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm> Acesso em 27 jan. 2021.

______. Lei n.º 1.603, de 07 de março de 1996. Câmara dos Deputados. Brasília, DF, 1996a. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2021.

______. Ministério da Educação. Resolução n.° 4, de 25 de outubro de 1999. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico; Conselho Nacional de Educação. Brasília, 1999. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/RCNE_CEB04_99.pdf. Acesso em: 09 set. 2020.

______. Decreto n. º 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamenta o § 2 º do art. 36 e os arts. 39 a 42 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Brasília, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d2208.htm. Acesso em 25 de ago. de 2020.

______. Lei n.º 12.513, de 26 de outubro de 2011. Institui o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC). Presidência da República. Brasília, DF, 2011. Disponível em: http://pronatec.mec.gov.br/images/stories/pdf/lei_12513.pdf…Acesso em: 09 set. 2020.

______. Emenda Constitucional n.º 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Presidência da República. Brasília, DF, 2016. Disponível em: Acesso em: 09 set. 2020.

______. Lei n.º 13.415, de 17 de fevereiro de 2017. Presidência da República. Brasília, DF, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2019.

CARDOZO, M. J. P. B. A produção flexível e a formação do trabalhador: o modelo da competência e o discurso da empregabilidade. In: SOUSA, Antonia de Abreu et al. (Org.). Trabalho, Capital mundial e formação dos trabalhadores. Fortaleza: Edições UFC, 2008. p. 163-199.

CAVALINI, M. [Matéria disponibilizada em 02 de maio de 2019, na internet] 2019. Disponível em:< https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/05/02/correios-estudam-abertura-de-capital-diz-presidente-da-estatal.ghtml> Acesso em: 09 set. 2019

EXTRA-CLASSE. [Matéria disponibilizada em 07 de janeiro de 2020, na internet] 2020. Disponível em:< https://www.extraclasse.org.br/educacao/2020/01/contratacao-uberizada-de-professores-por-aplicativo-ja-e-realidade/> Acesso em: 09 set. 2019

FREITAS, L.C. de. A Reforma empresarial da educação. Nova Direita,Velhas

Ideais. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FRIEDMAN, M. Capitalismo e Liberdade. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

GRAU TÉCNICO. Cursos. 2020. Disponível em: . Acesso em 29 ago. 2019

HADDAD, S. O direito à educação no Brasil: Relatoria Nacional para o Direito Humano à Educação. Curitiba: DhESC Brasil, 2004.

HARVEY, D. O "novo" imperialismo: sobre rearranjos espaciotemporais e acumulação mediante despossessão. Revista Margem Esquerda, 5, p. 31-41, 2004.

IBGE. Educação e qualificação profissional: 2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2017

INEP. Sinopse Estatística da Educação Básica 2019. Brasília: Inep, 2020. Disponível em:. Acesso em 09 set. 2020

LUKACS, G. Ontologia do ser social. Os princípios ontológicos fundamentais de Marx. São Paulo, Ciências Humanas, 1979.

MARX, K. A questão Judaica. São Paulo: Centauro, 2005.

MARX, K. Contribuição à crítica da Economia Política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, K. O Capital: Crítica da economia política. Livro I: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K. Os despossuídos. Boitempo: São Paulo, 2017.

MASCARO, A. L. Estado e Forma Política. Boitempo: São Paulo: 2013.

MELO, T. G. S. de. O Pronatec e o Processo de Expansão e Privatização da Educação Profissional no Brasil. 2015. 138f. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. Disponível em: https://memoria.ifrn.edu.br/handle/1044/892. Acesso em: 12 set. 2020.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

MÉSZÁROS, I. A crise estrutural do capital. São Paulo: Boitempo, 2011.

MÉSZÁROS, I. A montanha que devemos conquistar. São Paulo, Boitempo 2015.

MISES, L. von. Liberalismo segundo a tradição clássica. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises do Brasil, 2010.

NASCIMENTO, I. Vieira do; MORAES, L. C. S. Qualificação da Força de Trabalho: uma questão sempre atual. In: CABRAL NETO, A.; NASCIMENTO, I. V. 261 LIGANDO CAMPOS: ESTADO, AVALIAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DO CAMPO do; LIMA, R. N. (org.). Políticas públicas de educação no Brasil: compartilhando saberes e reflexões. Porto Alegre: Sulina, 2006.

NEWEDUCATION. Seminário Pronatec dia 27 – 11, 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 set. 2020.

OXFAM. Tempo de cuidar. O trabalho de cuidado não remunerado e mal pago e a crise global da desigualdade. Brasília, 2020. Disponível em: < https://rdstation-static.s3.amazonaws.com/cms/files/115321/1579272776200120_Tempo_de_Cuidar_PT-BR_sumario_executivo.pdf>. Acesso em: 09 set. 2020.

POULANTZAS, N. O Estado, o Poder, o Socialismo. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

RAMOS, M. Pedagogia das Competências: autonomia ou adaptação? São Paulo: Cortez, 2001.

SANTOS, S. R. Ligando campos: Estado, avaliação e educação profissional do campo. Natal: IFRN, 2019.

SANTOS, S. R.; AZEVEDO, M. A. A CONTRARREFORMA DO ENSINO MÉDIO E OS RUMOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL. Revista Labor, v. 1, p. 78-95, 2019. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/labor/article/view/39504. Acesso em: 10 set. 2020.

SAVIANI, D. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152-165, abr. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141324782007000100012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 09 set. 2020.

SCHULTZ, T. O capital humano: investimento em educação e pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

SILVA, D. de M. Desvelando o PRONATEC: uma avaliação política do programa. 2015. 168f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/20458. Acesso em: 25 set. 2020.

SOARES, M. C. S. Banco Mundial: Políticas e Reformas. In TOMASSI, Lívia de WARDE, Mirian Jorge e HADDAD, Sérgio (org.). O Banco Mundial e as Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez, 1996. p. 15-40.

VAROUFAKIS, Yanis. O minotauro global: a verdadeira origem da crise financeira e o futuro da economia global. São Paulo: Autonomia Literária, 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Direito Público

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.
Associada e indexada à