Preditores de conflitos intragrupais no ICMBio

Helena Machado Cabral Coimbra Araújo

Resumo


O objetivo geral do estudo foi “Identificar as causas de conflitos intragrupais interpessoais no ambiente de trabalho do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio”. Participaram da pesquisa 523 servidores e colaboradores em exercício nas unidades organizacionais do ICMBio de todo o Brasil e 97 chefias. O Bem-estar no Trabalho, o Contexto de Trabalho e os Conflitos Intragrupais foram medidos por meio de um questionário que reuniu três escalas já validadas: IBET-13 (SIQUEIRA, ORENGO e PEIRÓ, 2014), EACT (MENDES e FERREIRA, 2006) e ECI (MARTINS, GUIMARÃES e OLIVEIRA, 2006). O questionário das chefias foi elaborado pela autora sendo que parte dele foi construída com base no Inventário de Conflito Organizacional – ROCI II (RAHIM, 2001, p. 46-60). Os dados obtidos foram submetidos a análises estatísticas e obteve-se as médias, desvios padrão e frequência, além de procedimentos de correlação e regressão, a fim de verificar o poder preditivo das variáveis preditoras (contexto de trabalho, organização do trabalho, relação socioprofissional, envolvimento com o trabalho, compromisso com o trabalho e satisfação com o trabalho) sobre a variável consequente, resultado (conflito intragrupal de tarefa e de relacionamento). Os resultados indicaram que as relações socioprofissionais se mostraram as variáveis com maior potencial preditivo sobre os conflitos. Condições de trabalho e Compromisso e Satisfação também apresentaram um valor significativo e explicativo sobre os conflitos. Na visão dos respondentes (servidores, colaboradores e chefes) existem conflitos no ambiente de trabalho do ICMBio com baixa intensidade. Apesar deste achado não se pode negligenciar, a presença de conflito pressupõe a existência de problemas e deve-se, pois, implementar ações para identificar os problemas e atuar na gestão dos conflitos existentes.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à