RELAÇÃO ENTRE GASTOS PÚBLICOS E RENDA NACIONAL: EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS NO BRASIL DE 1997 A 2019

ANDERSON AORIVAN DA CUNHA POSSA

Resumo


Este artigo investiga a existência de relação de causalidade entre gastos públicos e renda nacional, a partir de evidências empíricas do Brasil, entre os anos de 1997 e 2019. Para isso, utilizaram-se dados do PIB e de despesas públicas federais. Aplicaram-se, inicialmente, os testes ADF, Ng Perron e Perron, para aferir a ocorrência de raiz unitária, em I(0), não foram encontradas raízes unitárias, estando as séries estacionárias. Procedeu- se, então, ao teste de causalidade de Granger, para examinar a ocorrência de relação causal entre as despesas e o PIB, estabelecendo a precedência temporal entre as variáveis. Concluiu-se que há relação de causalidade entre os dispêndios públicos federais e o PIB. Assim, dependendo do sentido, positivo ou negativo, desse nexo causal, podem ser provadas as abordagens que tratam a dinâmica dos gastos públicos e seu nexo de causalidade com a renda, sejam elas: a Lei de Wagner, as hipóteses keynesianas e as hipóteses não keynesianas.

Texto completo:

PDF

Referências


BARRO, R. J. Government spending in a simple model of endogenous growth. The Journal of Political Economy, v. 98, n. 5, part 2: The problem of development: A Conference of the Institute for the Study of Free Enterprise Systems, 1990.

BARROS, J. C. M.; LIMA, E. C. R. Estímulos fiscais e a interação entre as políticas monetária e fiscal no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico. PPE, v. 48, n. 2, abr. 2018.

BENDER FILHO, R. Gasto público e crescimento econômico. Planejamento e Políticas Públicas, PPP, n. 53, 2019.

BERTUSSI, L. A. S.; TRICHES, D. Multicointegração e Sustentabilidade da Política Fiscal no Brasil com Regime de Quebras Estruturais (1997- 2015). Revista Brasileira de Economia. RBE, v. 71, n. 3, 2017.

BEZERRA, A. R.; GOMES, J. W. F.; PEREIRA, R. A. C. Efeitos distributivos do aumento nos investimentos públicos em infraestrutura no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico. PPE, v. 49, n. 2, 2019.

BLEANEY, M.; N. GEMMELL, N.; KNELLER, R. Testing the Endogenous Growth Model: Public Expenditure, Taxation, and Growth over the Long Run. Canadian Journal of Economics 34(1), 2001.

BRUM, A. F. O.; TOURINHO, O. A. F. Políticas Fiscais para Estabilização da Dívida Pública: uma abordagem de equilíbrio geral aplicada ao Brasil. Estudos Econômicos. USP, vol.50, n.1, 2020.

CASTELO-BRANCO, M. A.; LIMA, E. C. R.; PAULA, L. F. Mudanças de regime e multiplicadores fiscais no brasil em 1999-2012: uma avaliação empírica com uso da metodologia ms-sbvar. Pesquisa e Planejamento Econômico. PPE, v. 47, n. 2, 2017.

CAVALCANTI M. A. F. H. Identificação de modelos VAR e causalidade de Granger: uma nota de advertência. Economia Aplicada,v. 14, n.2, 2010.

DA SILVA, C. G.; PRADO, P. H. M. Lei de Wagner, ilusão fiscal e causalidade entre receitas e despesas: uma análise das finanças públicas brasileiras. Economia Aplicada, v.22, n.2, 2018.

DA SILVA, A.M.G.; SIQUEIRA, R. B. Demanda por gasto público no Brasil no período pós-redemocratização: testes da hipótese de Mill de Ilusão Fiscal e da Lei de Wagner. Planejamento e Políticas Públicas, PPP, n. 43, 2014.

DA SILVA, S.S.; TRICHES, D. Uma Nota Sobre Efeitos de Gastos Públicos Federais Sobre o Crescimento da Economia Brasileira. Revista Brasileira de Economia. RBE, v. 68, n. 4, 2014.

DINIZ, E. M.; KANNEBLEY JÚNIOR, S.; SOUZA, G. S. Política fiscal e crescimento de longo prazo no Brasil: evidências para dados do orçamento função. Pesquisa e Planejamento Econômico. PPE, v. 40, n. 1, abr. 2010.

GADELHA, S. R. B. Política fiscal anticíclica, crise financeira internacional e crescimento econômico no Brasil. Revista de Economia Política, v. 31, n. 5, 2011. Edição especial.

GALDI, F. C.; LOPES, A. B. Relação de longo prazo e causalidade entre o lucro contábil e o preço das ações: evidências do mercado latino-americano. Revista de Administração - RAUSP, vol. 43, núm. 2, 2008.

GIACOMONI, J. Orçamento Público. 15. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUILHOTO, J. J. M.; MOLLO, M. L. R.; TAKASAGO, M. O debate desenvolvimentista no Brasil: discutindo resultados da matriz de insumo-produto. Planejamento e Políticas Públicas, PPP, n. 48, 2017.

GIUBERTI, A. C.; ROCHA, F. Composição do gasto público e crescimento econômico: uma avaliação macroeconômica da qualidade dos gastos dos Estados brasileiros. Economia Aplicada. vol.11 no.4, 2007.

GOFFMAN, I. J. On the empirical testing of Wagner’s Law: a technical note. Public Finance, v. 23, n. 3, 1968.

GRANGER, C. W. J. Investigating causal relations by econometric models and cross- spectral models. Econometrica, v. 34, 1969.

GUJARATI, D. N.; PORTER, D. C. Econometria Básica. 5 ed. Porto Alegre: AMGH Editora Ltda, 2011.

GUPTA, S. Public expenditure and economic growth: a time series analysis. Public Finance, v. 22, n. 4, 1967.

KEYNES, J. M. Teoria geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo: Saraiva, 2019.

PEACOCK, A. T.; WISEMAN, J. The growth of public expenditure in the United Kingdom. Cambridge: NBER; Princeton: Princeton University Press, 1961.

PIRES, M. C. C. Política fiscal e ciclos econômicos no brasil. Economia Aplicada, v. 18, n. 1, 2014.

PRYOR, F. L. Public expenditure in communist and capitalist nations. London: Allen and Unwin Ltd, 1969.

REZENDE, F. C. Teoria comparada e a economia política da expansão dos gastos públicos. Economia Aplicada, v.12, n.4, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à