AVALIAÇÃO DE IMPACTO DA MUDANÇA NO CONTROLE DE ATOS DE CONCENTRAÇÃO PELO CADE: UMA ABORDAGEM POR CONTROLE SINTÉTICO

DIEGO DOS SANTOS FERNANDES

Resumo


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade, até o ano de 2011, analisava as fusões e aquisições de forma a posteriori. Após a ocorrência dos atos de concentração, o Cade se pronunciava sobre a aprovação ou não das mesmas. Isso gerava insegurança jurídica nas empresas quanto ao interesse de realizarem operações de fusões e aquisições no Brasil. No mesmo ano de 2011, houve uma mudança regulatória e, a partir de então, tais atos passaram a ser examinados pelo órgão de forma ex-ante, antes de serem efetuados. Qual o efeito dessa mudança regulatória no número de fusões e aquisições internacionais? O artigo busca responder a essa questão utilizando a técnica de Controle Sintético (ABADIE, 2010). A partir das trajetórias anteriores de um grupo de países selecionados, cria-se um Brasil sintético, sem a mudança regulatória em questão. Os resultados sugerem que essa mudança foi responsável por mais de 740 novas fusões e aquisições internacionais em sete anos. Testes de robustez e regressões diferenças-em-diferenças corroboram a evidência causal anterior.


Texto completo:

PDF

Referências


ABADIE, A. Using Synthetic Controls : Feasibility , Data Requirements , and Methodological Aspects. Journal of Economic Literature, 2019.

ABADIE, A.; DIAMOND, A.; HAINMUELLER, A. J. Synthetic control methods for comparative case studies: Estimating the effect of California’s Tobacco control program. Journal of the American Statistical Association, v. 105, n. 490, p. 493–505, 2010.

ABADIE, A.; DIAMOND, A.; HAINMUELLER, J. Synth : An R Package for Synthetic Control Methods in Comparative Case Studies. Journal of Statistical Software, v. 42, n. 13, 2011. Disponível em: .

ABADIE, A.; DIAMOND, A.; HAINMUELLER, J. Comparative Politics and the Synthetic Control Method. American Journal of Political Science, v. 59, n. 2, p. 495–510, 2015.

ABADIE, A.; GARDEAZABAL, J. The economic costs of conflict: A case study of the Basque country. American Economic Review, v. 93, n. 1, p. 113–132, 2003.

ANGRIST, J. D.; PISCHKE, J.-S. Mostly Harmless Econometrics: An Empiricist’s Companion. [s.l.] Princeton University Press, 2008.

ATHEY, S.; IMBENS, G. W. The state of applied econometrics: Causality and policy evaluation. Journal of Economic Perspectives, v. 31, n. 2, p. 3–32, 2017.

BEN-MICHAEL, E.; FELLER, A.; ROTHSTEIN, J. The Augmented Synthetic Control Method. n. November, 2019. Disponível em: .

BRASIL. Lei no 12.529, de 30 de novembro de 2011.

BRASIL. Lei n° 8.884, de 11 de julho de 1994. . 1994.

BRUNA SOUZA, S. A nova lei de defesa da concorrência - lei 12.529/2011. Revista Discente DIREITO GV, v. 55, p. 026–038, 2012.

CARVALHO, J. M. de. A nova lei da concorrência e o impacto de suas mudanças nas análises de atos de concentração pelo Cade. RDC, v. 1, n. 2, p. 134–148, 2013. Disponível em:

CONLEY, T. G.; TABER, C. R. Inference with “difference in differences” with a small number of policy changes. Review of Economics and Statistics, v. 93, n. 1, p. 113–125, 2011.

CONLEY, T.; TABER, C. Inference with “Difference in Differences” with a Small of Policy Changes. NBER, technical Working Paper Series, n. Ses 9905720, 2002.

FERMAN, B.; PINTO, C. Inference in differences-in-differences with few treated groups and heteroskedasticity. Review of Economics and Statistics, v. 101, n. 3, p. 452–467, 2019.

FERMAN, B.; PINTO, C.; POSSEBOM, V. Cherry Picking with Synthetic Controls. Journal of Policy Analysis and Management, v. 39, n. 2, p. 510–532, 2020.

FIRPO, S.; POSSEBOM, V. Synthetic control method: Inference, sensitivity analysis and confdence sets. Journal of Causal Inference, v. 6, n. 2, p. 1–54, 2018.

HERITAGE, F. Index of Economic Freedom Datasets. Disponível em: . Acesso em: 1 jun. 2020.

IMBENS, G. W.; DOUDCHENKO, N. NBER WORKING PAPER SERIES BALANCING, REGRESSION, DIFFERENCE-IN-DIFFERENCES AND SYNTHETIC CONTROL METHODS: A SYNTHESIS Nikolay Doudchenko. 2016. Disponível em: .

INDIA. The Competition Commission of India Regulations. . 2011.

JÚNIOR, R. E.; SACHSIDA, A.; JUNIOR, A. N. Controle sintético como ferramenta para avaliação. In: SACHSIDA, A. (Ed.). Políticas públicas: avaliando mais de meio trilhão de reais em gastos públicos /. Brasília: IPEA, 2018.

MATIAS-PEREIRA, J. Políticas de defesa da concorrência e de regulação econômica: as deficiências do sistema brasileiro de defesa da concorrência. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 2, p. 51–73, 2006. Disponível em: .

MILLER, T.; KIM, A. B.; ROBERTS, J. M. 2020 Index of Economic Freedom.The Heritage Foundation. [s.l: s.n.]. Disponível em: .

MONTEIRO, C. B. Política Antitruste: aspectos relevantes para o caso brasileiro. 2003. FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS - FGV, 2003. Disponível em: .

POSSEBOM, V. Free trade zone of manaus: An impact evaluation using the synthetic control method. Revista Brasileira de Economia, v. 71, n. 2, p. 217–231, 2017.

RAGAZZO, C. E. J.; CARVALHO, V. M. de. A Evolução do Antitruste no Brasil - A Política de Defesa da Concorrência sob a Lei 12.529/11. In: EDUARDO CAMINATI ANDERS, G. F. C. R.; MARIANA VILLELA, PEDRO PAULO SALLES CRISTOFARO, V. B. (Ed.). 5 anos Lei de Defesa da Concorrência: gênese, jurisprudência e desafios para o futuro. [s.l.] IBRAC, 2017. p. 22–34.

RESENDE, C. C. de. Ensaios em Avaliação de Políticas Públicas. 2017. Universidade de Brasília, 2017.

RIBEIRO, F. G. et al. O impacto econômico dos desastres naturais: o caso das chuvas de 2008 em Santa Catarina. Planejamento e Políticas Públicas, v. 43, p. 299–322, 2014.

ROCHA, G.; RAUEN, A. Mais desoneração, mais inovação? Uma avaliação da recente estratégia brasileira de intensificação dos incentivos fiscais a pesquisa e desenvolvimento: Texto para Discussão. [s.l: s.n.]. Disponível em: .

SILVA, B. C.; DEWITT, M. SCtools: Extensions for Synthetic Controls AnalysisCRAN, , 2019. . Disponível em: .

UNCTAD. UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. World Investment Report 2019. [s.l: s.n.]. Disponível em: .

UNCTAD. UNITED NATIONS CONFERENCE ON TRADE AND DEVELOPMENT. World Investment Report: Annex Tables. Disponível em: . Acesso em: 1 ago. 2020b.

VORONKOFF, I. O novo sistema brasileiro de defesa da concorrência : estrutura administrativa e análise prévia dos atos de concentração. Revista de Defesa da Concorrência, v. 2, n. 12, p. 144–179, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Associada e indexada à